• Admin

Feng Shui do Lotus Negro

Atualizado: Mai 20


O Feng Shui do Lotus Negro é um sistema de purificação de moradias e/ou escritórios. que trabalha com o uso de rituais teúrgicos que, pela força de repetição, já se tornaram verdadeiras egrégoras, capazes de alterar os campos energéticos nos ambientes e nas pessoas (psicossomatização) dissolvendo formas pensamento negativas (larvas astrais, miasmas etc.) que criam desarmonia ou causam perturbações. Com auxílio da Egrégora dos Magos do Oriente e demais Seres de Luz .este sistema de Feng Shui também encaminha fantasmas para seus locais de repouso no astral e desmancha maldições e demandas (feitiços de magia negra) que possam estar intervindo na felicidade de uma família ou grupo de trabalho.


ESPÍRITOS PRESOS A TERRA

Por causa de um conhecimento inadequado em relação à morte, ou por medo de morrer, algumas almas resistem ao processo de partir desse plano, e tornam-se espíritos presos à Terra, perambulando entre esse mundo e o outro. Se ficarem presos às vizinhanças de onde habitavam, enquanto vivos, viram "assombrações", em casos como estes, pode tornar-se essencial a um ocultista experiente realizar um exorcismo. De um modo geral as almas presas à Terra são pessoas que, após a morte, não conseguiram desligar-se dos seus corpos físicos e da vida que levavam. Eles permanecem envolvidos pelo magnetismo terrestre, presos ao nível da crosta planetária, e não conseguem se desprender do apego à existência que já se encerrou. Geralmente eles acreditam ainda estar vivos, e não entendem por que as pessoas não falam mais com eles. Essas almas possuem um acesso bem fácil aos encarnados, e podem mesmo se ligar psiquicamente a eles. Com isso, eles atrasam sua entrada nos planos mais sutis e permanecem em estado de perturbação e sofrimento. Sabemos que as pessoas que vivem em um ambiente que esteja sob influência de entidades obsediantes ou confusas podem sofrer com desentendimentos, acidentes domésticos, agressões invisíveis, períodos constantes de azar ou má sorte, fechamento de caminhos, doenças prolongadas etc. em casos mais graves até mesmo mudanças de comportamento são observadas, alertando sobre uma possível possessão.

Influências Invisíveis

Os romanos diziam: “Levamos nosso Lares e conosco”, Lares e Penates sendo ancestrais e espíritos da casa. Se os espíritos (sejam humanos ou não-humanos) de uma habitação estão satisfeitos, se tornam protetores e benfeitores dos habitantes humanos. Ao contrário, se estão insatisfeitos podem encontrar inúmeros meios de expressar sua falta de conforto. Isso pode incluir influenciar o clima astral do ambiente, produzindo problemas de saúde triviais e mais sérios, afetando o senso de bem estar e a sorte dos residentes.

Os predecessores representam uma importante influência invisível em um local que escolhemos como nossa casa, escritório ou empresa. Se porventura houve acontecimentos desagradáveis como divórcios, degradações, ações judiciais, injúrias, doenças prolongadas ou mortes isso pode indicar que os próximos ocupantes/residentes do local correm o risco de se defrontar com eventos desagradáveis.

O Feng-Shui do Lótus Negro utiliza diversas técnicas esotéricas entre elas o símbolo taoísta do Pa Kua para mapear todo o espaço e com auxílio de aparelhos radiestésicos identificamos epicentros energéticos de origem negativa. Após isso lançamos mão das técnicas de Geomancia Astrológica para buscar maiores informações sobre o tipo de energia, ou entidade espiritual, que possa estar causando o desequilíbrio no ambiente. Pode ser uma cascarão ou Kama Rupa (cadáver de corpo astral), kiumbas ou encostos (entidades espirituais obsessoras), correntes telúricas subterrâneas etc.


Kama-Rupas

Kama-Rupas são resíduos de personalidades extintas. São energias Elementares que irão, inclusive, desintegrar-se, o telurismo os dissolverá como um ácido. Na grande maioria das sessões de "espiritismo" são esses restos vitais do defunto que se apresentam ao médium.

O Kama-Rupa (em sânscrito: kama, desejo; rupa,corpo) é a contra-parte astral das pessoas que realizaram a passagem, ou seja já faleceram, mas que por inúmeros ainda permanecem presas aos seus antigos ambientes. Após a morte física a alma de um homem abandona seu corpo astral e realiza sua passagem ao nível mental. Entretanto o corpo astral não se desintegra prontamente, ele permanece gravitando nas proximidades de seu corpo morto até que as últimas partículas do mental se dissolvam por completo. Nos casos normais após a alma abandonar o corpo astral este dissolve-se nos elementos da natureza que o criou. Infelizmente pode acontecer, às vezes, que uma alma, está tão vinculada e apegada aos assuntos da vida terrestre que se recusa a desvencilhar-se de seu corpo astral e se ocupa da vida terrena, que deveria ter abandonado. Ela então se transforma em um Kama-Rupa, o pálido duplo do homem.

Não podemos confundir Kamas Rupas, que são seres Elementares, com os Elementais da Natureza. Os Elementais originam-se dos Elementos da Natureza (energias superiores da Criação) que são os da Terra, os gnomos; os da Água, as ondinas; os do Ar, os silfos; e os do Fogo, as salamandras. Por sua vez um Kama-Rupa é uma sombra errante, um cadáver do corpo astral, desvinculada de seus princípios espirituais e mentais que deve, inclusive, desintegrar-se nos elementos da Natureza em seu devido tempo - é isso que denominamos "segunda morte".

Kamas Rupas são normalmente, difíceis de serem tratados com técnicas do Feng Shui Tradicional. A grande maioria dos livros e cursos de Feng Shui oferecidos atualmente no mercado ensina apenas de métodos de Limpeza e Harmonização do Espaço, entretanto isso não funciona com Kama Rupas, Fantasmas e mesmo Elementais telúricos que insistem em tomar um ambiente como seu refúgio ou morada permanente. Uma casa, escritório, ou empresa que vive assombrado com um Kama-Rupa pode de fato atrair inúmeros infortúnios aos seus habitantes humanos. Para exorcizar este tipo de entidade astral o ocultista deve ter um conhecimento especializado de exorcismos e demonologia.

Um só Corpo e cinco Almas

O conceito de um corpo e cinco almas é parte integrante tanto do Shintoísmo (religião cívica japonesa) como do Kemetismo (religião egípcia antiga,) ainda que com diferenciações de conceitos e práticas. A Alma na da mitologia egípcia é formada por cinco partes: Ka, Ba, Akh, Sheut e Ren. Durante a vida, achava-se que a alma, incluindo a dos animais e dos deuses, habitava um corpo (chamado de Ha (ḥˁ), que significa "carne".


Baseado nos fundamentos metafísicos post-mortem dos antigos egípcios e dos taoístas chineses a Ordem do Lotus Negro abraça o princípio que após a morte a alma do homem decompõe-se em três partes distintas: uma inferior e impermanente (Ka), que funciona como seu duplo etérico e pode se desintegrar após a morte, outra espiritualmente superior (Ba) que é sua personalidade astral e que sobrevive em algum céu particular e finalmente temos o aspecto da pessoa que iria unir-se aos deuses no mundo espiritual, sendo imortal e imutável (Akh).

Se tudo correr bem no processo de desencarne logo após a morte a alma passa um curto período no Kama-Loka - ou o plano do desejo – uma região astral que permeia e rodeia a terra e que é intermediária entre a vida terrena e a celeste. Nessa esfera astral a alma - em consequência da ausência de corpo - vai se depurando de seus vínculos terrestres e liberando as energias de suas paixões e desejos ocultos, ficando livre para elevar-se aos planos superiores do astral e mesmo além (se for de seu merecimento). Entretanto existem aquelas almas, que por serem espiritualmente avançadas, conseguem realizar a união alquímica entre Ka e Ba ainda em vida. Com isso elas criam um Corpo de Luz, aquilo que Pitágoras chamava "o carro da alma", o qual podem transferir com sucesso seu Akh - sua essência ou consciência espiritual - transformando-se em uma entidade verdadeiramente imortal. Essas almas não passam "pela segunda morte do corpo astral no Kama-Loka, elas não precisam "morrer pela segunda vez,", porque elas já fizeram isso em vida e respirando. Existem também aquelas almas que se recusam a passar pelo processo da morte do corpo étero-astral (Ka) e permanece na Terra em estado de desintegração. Elas agarram-se aos seus Sheuts (sombras) totalmente desvinculadas de qualquer princípio espiritual. O Sheut de uma pessoa é aquela parte do Ka e do Ba que egípcios acreditavam conter aspectos da identidade de uma pessoa, além de ser uma cópia dela. Era visto também como uma entidade. No post-mortem o Sheut pode estar junto com o Ba em algum paraíso celestial ou pode estar junto ao Ka vagando pela Terra e preso as ilusões da vida material. Se estiver junto ao Ba ele sobrevive numa esfera própria que denominavam Amenti localizada no astral superior onde as almas eram julgadas pelo Deus Osíris. Caso o morto se saia bem no Julgamento de Osíris a Deusa Maat, que simbolizava a justiça e a verdade, liberava a alma do falecido e então o Ba une-se ao Akh e transforma-se em um Sahu (corpo espiritual) ascendendo aos céus para viver com os deuses entre as estrelas.. Tudo isso vai depender do nível de espiritualidade do falecido. Se o récem-morto apegar-se ao seu Ka ( que é impermanente) ele vai manifestar-se como um fantasma para outras pessoas. Este para nós é o Kama-Rupa, uma entidade geocêntrica e afim com a alma do globo terrestre e que depois que o homem falecer quer queira ou não, a absorverá (é só uma questão de tempo).

Seja como for se uma alma desencarnada se desprende mal de seus elementos astro-psíquicos ela é arrastada aos infernos (rios subterrâneos do telurismo, a zona mais baixa do mundo astral, e aí fica sofrendo durante todo o tempo em que sua sombra/cascão astral se decompõe. A zona do baixo astral (Kamaloka) é o Hades alegórico, o Gehenna da Bíblia. Esse local é comparável a um fundo submarino escuro. O estado de consciência que dele se desprende constitui, segundo os iniciados, ora a melancolia ora a angústia. Com efeito, o baixo astral serve de vazão ao astral; as paixões e os sentimentos dos mortos continuam a flutuar nele e se movimentam com melancolia; e as baixas paixões dos vivos assumem aí formas perfeitas de demônios malignos.

Uma ardente aspiração para se libertar dos seus males e um desejo bastante pronunciado hão de levá-la uma vez mais à atmosfera da terra. Aí ela vagueará e sofrerá mais ou menos numa solidão dolorosa. Os seus instintos hão de fazê-la procurar com avidez o estabelecimento de contato com pessoas vivas. É comum ainda aproximar-se de alguém para vampirizar um pouco de energia e permanecer estável por tempo indefinido. Essas entidades Kama-Rupas são invisíveis, mas muito tangíveis “vampiros magnéticos”. Também as pessoas vivas sejam dementes, alcoólatras, drogados ou criminosos podem se enclausurar psiquicamente no baixo astral, tornando-se seus médiuns.

O Kama Rupa de uma pessoa falecida pode, inclusive, ser capturado por um mago negro e ser programado para cumprir seus intentos egoístas. Exatamente por ser uma espécie de "casca vazia", com uma espécie de memória residual, o Kama Rupa pode ser parcialmente avivado e servir de hospedeiro para um Elemental ou Demônio evocado pelo mago negro.

É nesse ponto que as coisas costumam se complicar bastante pois uma Kama Rupa avivado por uma entidade não-humana pode se tornar muito mais poderoso e inteligente e ter o poder de manifestar efeitos poltergeist de todo tipo.

Existe outro tipo de entidade/energia negativa conhecida como Assombrações Residuais" que são os sentimentos, pensamentos e a energia impregnada das pessoas que ficaram muito tempo num imóvel ou cômodo. Também podem ser recordações de acontecimentos traumáticos que ficaram registradas nas paredes, objetos, móveis dos ambientes e ficam reverberando na memória akáshica local.. Essas emoções ou energias negativas de raiva, ódio, ciúme, medo, apegos etc foram geradas por moradores, recentes ou antigos, e ficam gravadas em certos locais na residência. Uma assombração residual é como um disco velho de vitrola: repete sempre a mesma canção (vibrações) influenciando os novos residentes a terem os mesmos pensamentos e emoções.

Em alguns casos além de um ritual de purificação de ambientes é também necessário realizar uma Cerimônia de Apaziguação de Espíritos.

Um Cerimonial de "Apaziguação de Espíritos” é um ritual mágico-religioso que envolve a compaixão por todos os seres sencientes.


Cerimonial para Apaziguação de Espíritos

Para ajudar os espíritos errantes/perdidos a realizarem a passagem para a luz a Ordem do Lotus Negro realiza um cerimonial que tem a mesma função da Missa de Réquiem (Missa para os Mortos) da Igreja Católica, denominado Cerimonial para Apaziguação de Espíritos.

Neste cerimonial utilizamos diversas técnicas inspiradas no Budismo, no Shintoísmo, no Xamanismo e na Kabalah são elas:

Purificação: É a purificação da casa, lugar de trabalho ou ambiente onde vai ocorrer o cerimonial. Também realizamos a limpeza energética das pessoas envolvidas no trabalho (familiares, ajudantes etc). Nós utilizamos Sal, Água Benta, Incenso e Fogo (ervas para defumar) nos ritos de limpeza além de gestos místicos (mudras) e palavras de poder (mantras).

• Preces: Normalmente começam com expressão de louvor e gratidão aos seres da purificação (vajrassatvas) guardiões e divindades tutelares da Ordem do Lótus Negro que irão ajudar na cerimônia.

• Oferendas: Em geral são realizadas em nome das pessoas que residem no imóvel. No altar oferecemos flores, comida e bebida e outros itens naturais (incenso etc.), aos ancestrais, elementais negativos e aos fantasmas famintos* que estejam presentes na cerimônia. O objetivo é demonstrar gratidão aos ancestrais e as pessoas falecidas da família, além de aplacar entidades potencialmente perigosas que podem atacar as pessoas que vivem ou trabalham no imóvel.

• Refeição Sagrada: Aqui todos participam, encarnados e desencarnados, shedins (elementais) e deuses. Nós abençoamos o Espírito Guardião da Casa/Imóvel e demais presenças invisíveis superiores que prestaram assistência a cerimônia. Alimentar espíritos famintos (segaki) é algo tido como auspicioso (benéfico, meritoso) em muitas culturas e religiões espalhadas pelo mundo, em especial o budismo e o taoísmo, e tem como objetivo cuidar dos espíritos dos ancestrais e de pessoas falecidas da família.


*Foto: Ritual com o Quadrado Mágico de Kubera assentado em uma residência. Lorde Kubera é uma divindade hindu considerada como o tesoureiro das riquezas do mundo, é adorado junto com Sri Lakshmi, a deusa da prosperidade. O objetivo deste ritual é trazer prosperidade e abertura de caminhos para uma família ou empresa.

Obs: Gênio (Genius) é o espírito protetor semelhante aos anjos da guarda da Igreja Católica. A crença em tais espíritos, ou genii, parecia ser comum na Grécia e em Roma desde tempos imemoriais. Os Romanos podem ter recebido sua teoria sobre os genii dos Etruscos ainda que a palavra genius, singular de genii, tenha origem no latim geno significando ‘nascido’ ou com relação ao sentido de que o nascimento e a vida deviam-se aos dii genitales, força que produz e sustenta a vida. Possui relação com genitus, cujo significado é similar a ‘genitor’ ou ‘pai’. Todo ser vivo, assim como cada lugar, tinha o seu genius. O genius de um lugar – genius loci, genius significando ‘espírito', e loci, também do latim, como singular de locus, ‘lugar’.


61 visualizações1 comentário

CNPJ: 27.312.788/0001-28

© 2015 by Ordem do Lotus Negro.