• Admin

Filosofia Luciferiana - Shamballa, Anjos, Karma, Energia Vrill e o Rei do Mundo.



Por Helio Monteiro

Pergunta 01: Tenho uma pergunta. Estive pensando (...) sob o ponto de vista da Ordem do Lotus Negro pode se cultuar Tetragramaton junto com Lúcifer na corrente luciferiana e ainda tendo em vista as práticas angelicais segundo a igreja católica Romana?

Resposta : Bem, eu particularmente não cultuo Tetragrammatom, IHVH, JHVH, יהוה, Yehovah, etc. ou qualquer um dos nomes do Deus hebraico.

Jehovah ( Yehovah) é o Nome do Deus Criador (Arquiteto) entre os hebreus, que pode ser expresso em quatro letras YHVH. Os gnósticos o denominaram simplesmente EON. Esotericamente falando Jehovah é a síntese dos Sete Elohim, o centro eterno de todos aqueles atributos e forças cósmicos - que entendemos como uma fórmula mágica ligada aos Quatro Elementos do Universo. A fórmula está expressa abaixo:

O TETRAGRAMMATON


Yod - Pai (Fogo): Exaltação e identificação com a Divindade da Esfera, ou com seu reflexo na alma do teurgista, que é o Eu Superior ou SAG (Sagrado Anjo Guardião).

HE – Mãe (Água): Invocação dos Arcanjos ou Logoi Planetários. Essa é à parte devocional do rito e o operador deve “inflamar-se em oração”. Toda oração é uma forma de Teurgia.

Vau - Filho (Ar) : Comando da Rede Astral por intermédio da Coletividade dos Anjos menores

HE – Filha (Terra) : Uso de Elos Mágicos e Ancoragem da força ou "inteligência" invocada.

Como eu disse eu sou praticante de MCT (Magia Cerimonial Tradicional) mas não sou um ocultista cristão - também não sou thelêmico - e sim abraço uma visão gnóstica luciferiana. Entendo os Arcanjos da Kabbala como Logois Planetários, Grandes Entidades Cósmicas que são o Ápice da Evolução em suas respectivas esferas de existência. Assim, cada Arcanjo é o nome hebraico de um Espírito Planetário regente de seu próprio Universo - simbolizado por sephiroth ou planetas astrológicos. De outro modo poderíamos considerar melhor estes Seres como complexos inteligentes de forças das Esferas às quais estão associados. Tradições esotéricas muito antigas asseguram que todo o Universo, em seus bilhões de estrelas e galáxias, é povoado de vida e consciência. Os planetas e estrelas de cada sistema solar são veículos físicos de Espíritos Planetários ou Grandes Entidades que tem seus habitantes encarnados na matéria do mundo que lhes é próprio. Como pode-se notar, não tem nada de “católico” nessa versão da angelologia.

Quanto a Jehovah - ou IHVH – ele é a Coletividade dos Elohim, o Homem Celeste o Adão Kadmon, de quem o Logos Cósmico, o autocriado Espírito, se serve/utiliza como veículo para descer ao mundo fenomênico e nele manifestar-se. Lúcifer é o Primogênito da criação, o Portador da Luz Divina e Terrestre; o Espírito Santo, o Dragão Ígneo Vermelho ou Energia Ativa, Centrífuga cujo reflexo “desce” à Esfera Ôntica de Malkuth e se torna o "Rei do Mundo". Lúcifer antes da queda era “ o Anjo da Coroa” (ou seja: Kether, a primeira Sephira da Árvore da Vida). Parece que esse simbolismo explica a lenda da Pedra do Santo Graal que teria sido talhada pelos anjos numa esmeralda caída da fronte de Lúcifer quando de sua queda.

Entretanto, Lúcifer é também nossa Mente e nos conduz a gnose do despertar pois está definitivamente associado a obra de elevação do Fogo Sagrado, a Kundalini. O Fogo Serpentino encontra-se no interior do chakra fundamental (muladhara), no princípio da coluna vertebral do ser humano.

A partir de agora devo me calar pois a deusa Ísis me faz o sinal de silêncio.

Pergunta 2- Frater, então Lucifer e Sanat Kumara são o mesmo?

Resposta : por lógica SIM mas SANAT Kumara é o mesmo Changan-Melchizedek ambos tidos como REI DO MUNDO entre os ocultistas.


Entretanto, nós do Lótus Negro entendemos que Changan-Melchizedek é a PERSONA, TULKU, do Logos Planetário da Terra (o Deus da Terra, o Gênio Planetário da Terra) cujo verdadeiro nome é secreto. Também Lúcifer é mais abrangente que Changan-Melchizedek pois vibra numa "oitava superior".

Pergunta 3: Conhecia Lúcifer como o “Primeiro Príncipe do Inferno”.

Resposta: Lúcifer é, ao mesmo tempo, a Luz Divina e Terrestre, Saturno e Satã. Onde Saturno é a oitava superior de Lúcifer e Satã é a sua oitava inferior. Talvez isso fique melhor compreendido no mito grego onde Zeus prendeu Cronos (Saturno) com correntes no Târtaro, o nível mais profundo do Hades.

Hades, o submundo dos gregos, é o mundo subterrâneo, denominado “inferno” pelos sacerdotes romanos porque estava ligado a matéria ( a luz luciferiana, a Shekinah presa ao Plano Físico), morada dos demônios e criaturas das sombras. Uma outra versão do mito conta que tarde Zeus libertou Cronos e que este retoma a sua função cosmológica no Universo como Governante dos Campos Elíseos, o paraíso da mitologia grega e lugar de descanso para os mortos bem-aventurados. Nesse caso Lúcifer pode ser identificado com Shekinah, cuja oitava inferior é Satã (nos infernos subterrâneos) e em sua oitava superior é Saturno redimido ( e retorna aos Campos Elíseos).

Pergunta 4 : Não entendi bem a relação de Lúcifer com o Karma poderia explicar melhor? Resposta: Lúcifer preso na Terra é o regente de Malkuth e obedece as Leis de Saturno na Terra. Lúcifer, no papel de Sandalphon, é o Anjo Negro que rege a dívida cármica coletiva dos habitantes da Terra. SANDALPHON é o Arcanjo guardião da Terra. É a nossa âncora divina, está ligado ao Karma do Planeta.

A tradição gnóstica afirma que nosso Universo é condicionado pela força de Saturno (isto é, do Karma). Saturno que rege o Karma (individual e coletivo). Consciente deste fato o INICIADO, como que desperto de um sono hipnótico, necessita esforçar-se para alçar sua consciência além da prisão astrológica, que está sob o poder dos Arcontes (os deuses menores do paganismo, semideuses etc). Se for bem sucedido nessa empreitada ele atinge o Céu de Tushida ou dos Campos Elíseos etc, ambos considerados terras puras dos mortos divinos ou Ilhas dos Abençoados, etc. Pergunta 5: Poderia falar mais a respeito da Terra Pura? Resposta: O objetivo das práticas de Ascese Mística do Lótus Negro é atingir o estado de consciência da “Terra Pura” ainda em vida e respirando. Denominamos isso de atingir o estado da “Consciência Shamballa”, o Mundo Puro de Adi-Buda, que é a Causa Primordial, o Deus Oculto em nós mesmos. A Terra Pura Shamballa é um reino transmundano que está além das experiências comuns e de todo e qualquer sofrimento. Shamballa simboliza a consciência coletiva dos Mestres Ocultos Ascensionados ( que alguns afirmam ser em número de nove); o seu nome vem da mítica cidade iluminada oriental e ela é conceituada como uma grande pirâmide com seus quatro lados representando os quatro elementos.

O ápice da Pirâmide Shamballa tem uma significação similar ao monte Meru-Lingham*, a Montanha Sagrada ou Pilar do Mundo – e toca os níveis mais elevados da realidade. A base da Pirâmide é vigiada por Quatro Lokapalas ou Guardiões, que lembram os Animais Sagrados da Esfinge do Egito (Touro, Anjo, Águia e Leão), onde o magista se senta no centro tomando o “Assento do Dragão” e dominando os Quatro Elementos, nele mesmo e no Universo. Essa é a verdadeira Magia Drakônica do Lotus Negro pois os hierofantes do Egito e da Babilônia se intitulavam “Filhos do Deus-serpente” e “Filhos do Dragão”, porque tanto a Serpente como o Dragão são símbolos da Sabedoria, da imortalidade e do renascimento. Pergunta 6: Pode nos falar mais sobre o Rei do Mundo?


Resposta: Nossa tradição ocultista ensina que a energia da Kundalini, o Fogo Sagrado, é uma energia cósmica, ela vem do Sol Oculto. Assim como os sete planetas nasceram do Sol Central, formando um sistema , surgiram "os Sete arcanjos diante do Trono" (ou Anjos Planetários), isto é Aqueles que contemplam o Sol dos sóis, o Sol Oculto que tem relação, evidentemente, com Lúcifer. Após se alojar nas profundezas da Terra a Kundalini ascende a superfície do globo sendo distribuída através de uma rede de linhas geomânticas que conduzem a energia telúrica - o Vrill - por todo o globo. Ou seja: embora a Kundalini seja um fenômeno essencialmente terrestre sua origem é estelar, ela provêm do Sol e além dele da Estrela Azul de Sírius, da constelação de Canis Major. Sírius é o Grande Sol Central que as antigas Escolas de Mistérios consideram como "o Sol por trás do Sol" e, portanto, a verdadeira fonte da potência do nosso Sol. Por sua vez nosso Sol é apenas um veículo para a Grande Entidade ou Ser Angélico que preside nosso Universo Local conhecido como Logos Solar, o Sol Espiritual. Ou seja, o nosso orbe terrestre está subordinado diretamente ao Logos do Sol, o Espírito Supremo que comanda o astro-chefe de nosso Sistema Solar e que se integra ao Logos da Terra. Assim a Kundalini do Sol se conecta com a Kundalini da Terra que é a fonte do Vrill, uma energia telúrica que vem num movimento de subida, do centro do Planeta. Em algumas tradições ocultistas o Logos da Terra é conhecido como Changan, o Rei do Mundo. Na tradição judaico-cristã tem o nome de Melchizedek. Para nós da O.L.N a Força ou Energia Vrill está diretamente ligada a Vontade do Buda Changam-Melchizedek que é o regente supremo da vida evolutiva e involutiva de nosso planeta Terra, o Guardião da Anima-Mundi. Ele é o Gênio da Terra, o Deus da Terra. Dizem que esse Grande Ser já foi visto e contatado inúmeras vezes na Àsia, especialmente na India e no Tibet, mas também em outras paragens, como nos templos sagrados de Angkor-Vat no Camboja. Pergunta 7: O que é a relação entre a Kundalini Terrestre e a Energia Vrill? Resposta: O Sol age como um Portal para a Kundalini Cósmica que por sua vez desce através dos planos e assenta em seu lócus terrestre no centro de Shambala (segundo as lendas morada do Rei do Mundo) como Monte Meru, o "eixo do mundo". No microcosmo humano esse eixo central é a espinha dorsal. Como Meru o sushumna está no corpo humano, assim Meru está no corpo da Terra; seu merudanda ou suporte axial, é o caminho central de shakti-kundalini. Isso significa que do mesmo modo que o caminho central sushumna, percorre a medula espinhal humana desde o chakra raiz até o plexo supremo localizado no topo da cabeça, assim Meru (a Montanha Sagrada) representa o canal central chamado Brahma Nadi que transporta pelo sushumna da Terra (GAIA) sua grande corrente de energia vital. Os antigos xamãs altaicos sabiam muito bem que a kundalini está no topo de energia da Terra do mesmo modo que está em seus chakras. De forma semelhante, no sistema de Alta Magia do Lotus Negro o mago-ocultista busca utilizar o princípios da analogia e correspondências mágicas para gerar um vórtice de poder em seu corpo e elevar a consciência facultando o contato com Entidades Transcendentais. Neste processo o mago deve aprender a absorver a força do telurismo, o fluido que emana por debaixo da terra - a corrente de força para-elétrica - através dos chakras inferiores do tronco e aqueles das pernas. Entretanto essa força tem que ser alquimizada pelo mago pois aspirar a força infernal têm o seu preço. Falando em termos simbólicos se o mago prentende explorar o telurismo e usar ou abusar das forças naturais que nele se encerram ele tem que antes aprender a incorporar e transmutar essa energia. Se o mago recorre ao demônio planetário, Satã, mestre do telurismo, ele tem que antes entender o simbolismo da Grande Obra Alquímica expresso em sua máxima em latim: "Visita Interiora Terrae, Rectivando Invenies Occultum Lapidem", ou seja: Visita o Centro da Terra, Retificando-te, encontrarás a Pedra Oculta (ou Filosofal), frase cujas iniciais reunidas formam a palavra: V.I.T.R.I.O.L. Filosoficamente ela quer dizer: Visita o Teu Interior, Purificando-te, Encontrás o Teu Eu Oculto, ou, "a essência da tua alma humana". A execução de rituais apropriados, em momentos astrológicos certos, permite o controle ocultista dessa energia universal e libera poderes obedientes à vontade dos oficiantes. Esse controle inclui o direcionamento da vontade mágica através das linhas geomânticas para fins diversos. A experiência comprova que o controle da energia etérico-telúrica (via sistema de linhas geomânticas), pode verdadeiramente ser usada para abrir portais interdimensionais, purificar, curar, rejuvenescer, exercer controle psíquico etc. A fonte ou epicentro das correntes telúricas que animam a vida em nosso planeta, denominados pelos chineses de "as Veias do Dragão", derivam do centro da Terra. De fato, a aplicação correta dos princípios do Vrill inclui os ritos secretos da Serpente de Fogo nesta Terra conhecida como Kundalini Terrestre. Esclarecimentos

Shekinah: Na Kabbala a Anima Mundi é Shekinah, o elemento feminino da Divindade, a presença de Deus em Malkuth - o Universo Visível. Entre os antigos egípcios Shekinah é a Deusa Celestial Ísis manifestando-se em sua fase terrena como Hathor ou Neftís. Quando Shekinah desce a manifestação ela diferencia a Luz divina em emanações de plano em plano. Para os kabbalistas cristãos Shekinah é um símbolo do Espírito Santo, que é de natureza feminina. A exemplo da Deusa Hathor (a Shekinah egípcia), o Espírito Santo é representado pela imagem teriomórfica de uma pomba que desce dos Céus a Terra. A diferença nesse caso é que a “Pomba de Hathor” é um símbolo que antecede em milênios o Espírito Santo dos cristãos.

Monte Meru: O monte Meru está inserido em diversos mitos e escrituras sagradas como sendo o Kailash a morada mítica do Deus Shiva e de sua esposa Parvati. É o Umbigo do Mundo (Omphallos).

Karma: É a lei de causa e efeito, nada mais do que isso, que ajusta com precisão matemática todas as nossas ações. É também a justiça cósmica (MAAT) é a lei básica de economia do universo. Registrar que o Karma não é castigo. São desafios que escolhemos superar – consciente ou inconscientemente – e que proporcionam a evolução espiritual. O que pouca gente sabe é que o Karma é negociável. Energia Vrill: Existem grandes correntes etéricas circulando constantemente pela superfície da Terra de pólo a pólo. Essa energia é de natureza eminentemente negativa ou telúrica e ficou conhecida pelo nome de Vrill. Sendo a Terra um organismo vivo Ela emana essas energias que partem do centro do planeta e sobem à superfície terrestre afetando todos os seres vivos. Os antigos davam o nome de "reios infernais" a estas correntes subterrânias que elm lugares precisos (menhirs) jorram do subsolo e se dissipam em invisíveis gêisers. Segundo estudiosos da linha espiritualista a tecnologia do Vrill remonta aos tempos do continente desaparecido da Atlântida. O controle pleno do Vrill aparentemente oferecia inúmeras capacidades insuspeitas aos atlantes tais como curar ou ferir pessoas, elevar objetos de grande peso e mesmo ascensão as dimensões superiores de Consciência Cósmica. Logos: No ocultismo a palavra “Logos” substitui a palavra “Deus” por sua praticidade. Em nossa cultura associamos a palavra “Deus” a convicções sectárias além de ser um termo vago para o propósito das práticas esotéricas. Por sua vez “Logos” é uma palavra grega que significa “verbo ou razão”, ou seja, é um termo que designa a Divindade. O termo Logos Solar é usado mais comumente para designar a Divindade Manifesta, o Ishvara (Deus) de um Sistema Solar acompanhado de seus Sete Logoi Planetários que juntas formam a ordem de inteligências mais elevadas de nosso sistema solar. Na O.L.N denominamos a Grande Entidade Angélica que preside o Sol de nosso sistema de Surya-Mikhael. Estrela Sírius: Sírius é o SOL OCULTO, O SOL do SOL da Terra. O Sol da nossa Galáxia. Entre os gregos antigos Sírius é Sothis, também conhecido pelos egípcios como Amon, o Oculto. Na Tradição Oculta Iniciática a enorme estrela Sírius simboliza “o Sol atrás do Sol”, o Sol de nossa Galáxia, o verdadeiro Logos ou “Deus” do nosso sistema solar. Sírius representa o Logos Eterno, Deus Pai-Mãe, Fonte de toda a Vida e Consciência, meta última a alcançar por todas as vidas e consciências em evolução no Mundo das Formas.

#AltaMagia #FilosofiaLuciferiana

518 visualizações1 comentário

CNPJ: 27.312.788/0001-28

© 2015 by Ordem do Lotus Negro.