• Admin

Sobre o Curso de Alta Magia da O.L.N

Aos interessados no Curso de Alta Magia da O.L.N (Ordem do Lótus Negro).

Por Frater Velado (Mestre do Templo O.L.N)




Essa é minha impressão sobre curso em si e o trabalho da Ordem. Como aluno e frater sénior que acompanha os trabalhos da O.L.N já alguns anos posso dizer que os ensinamentos do curso são de nível superior e abordam, de forma prática, as técnicas de Alta Magia (ou Magia Cerimonial) com a energia planetária dos antigos, ou seja, Sol, Lua, Marte, Mercúrio, Júpiter, Vênus e Saturno.


Logo observa-se que se faz necessário um certo entendimento sobre o assunto/tema “sistema planetário dos antigos”, que considerava a Lua e Sol como planetas.


Ainda o curso envolve o aspecto elemental e angélico no sentido de potencializar os rituais de Magia Cerimonial e auxiliar na abertura e fechamento de portais, sendo assim, em um único curso você observa a utilização de pelo menos três seções da magia como um todo, como dito: magia planetária, angelical e elemental.


O aluno também recebe uma introdução geral ao estudo da Kabbalah (também Cabala, Qabālâ, etc) um antigo e poderoso sistema de misticismo com raízes no judaísmo. Não é necessário entender profundamente de Kabbalah para colocar em prática as técnicas de Alta Magia da O.L.N, mas uma familiaridade com essa tradição torna-se importante pois é ela que conecta os três sistemas de magia acima mencionados. Uma parte importante da Kabbalah prática é encontrada nos livros (grimórios) de Magia Medieval denominados “Clavículas de Salomão”, cujos procedimentos básicos (banimentos, purificações e ritualística) são abordados no curso de Alta Magia da O.L.N.


Além disso, na prática da Magia Cerimonial, o conhecimento da Kabbalah é aplicado, sem falha, particularmente na feitura e consagração de Talismãs.


Os Talismãs e Pantáculos são importantes pois eles colocam o magista em sintonia com as Forças Macrocósmicas invocadas durante os cerimoniais. Assim a Arte da Magia Talismância é outro sub-sistema de Alta Magia e inclui o estudo da simbologia oculta e da astrologia.


Talvez o interessado em aprender Alta Magia fique receoso por não entender a fundo de magia ou não ter conhecimento sobre alguma área específica, entretanto, o curso é excelente de seu início teórico até sua parte prática, onde até mesmo pessoas leigas conseguem seguindo o guia do curso chegar nos últimos níveis operacionais da Alta Magia.


O objetivo deste texto não é adentrar nos pormenores da Alta Magia ou do curso, mas sim dizer que o método ensinado na O.L.N é intuitivo e conta com uma fraternidade online de apoio, onde muitos assuntos construtivos são debatidos.


Logo, o objetivo deste texto é apenas citar as energias planetárias para uma melhor fixação na mente dos interessados.


Cabe a cada magista estudar e desenvolver por si todo conhecimento, seja astrológico, seja planetário, e é com esse objetivo, que resolvi escrever este pequeno texto sobre as energias dos sete planetas dos antigos, e assim estimular a pesquisa de cada um, para quando for colocar em prática seus rituais de invocação ou evocação, saiba com que tipo de energia estará trabalhando.


Ainda sobre astrologia, existem várias formas de a utilizar, por exemplo, o mapa astral ou mapa natal, ele em si mostra um mapa mental.


Em resumo uma pessoa de capricórnio não é uma pessoa prática porque é de capricórnio, ela é uma pessoa prática porque ela tem uma influência mental que a faz ser assim, entretanto, essa pessoa não precisa ser assim. Em geral pensamos, uma pessoa de capricórnio sempre será terrena, pés no chão, frio de sentimentos, etc, mas não, ele só tem essa influência e cabe a ele desenvolver uma influência canceriana por exemplo! Ou seja, com seu mapa natal você se conhece, e cabe a si desenvolver as suas faltas!


Com a magia, você tem o poder para alterar algumas coisas no seu dia a dia, claro que a habilidade do magista em realizar tal mudança conta muito, mas, aqueles que conseguirem tem que ter um objetivo benéfico, altruísta, afinal, o que cada mago ou magista quer? Não é ficar fazendo rituais quando der vontade, sim também é utilizar a magia para ter uma vida melhor, mas o objetivo do magista é tornar-se iluminado, mais sábio e atingir aquilo que os rosacruzes chamam "domínio da vida" e que nós chamamos de realizar a "Grande Obra". E isso ele faz através de seus rituais e práticas místicas nos quais entrará em contato com energias superiores, como anjos por exemplo e assim comungar com eles adquirindo sua evolução espiritual como por osmose.


Não adianta aprender magia e ficar procurando depois onde a utilizar, você deve ter o objetivo iniciático de subir a escada de Jacó degrau a degrau com o objetivo final de se tornar uma pessoa melhor, e por isso, fazer o mal está fora de cogitação.


Sem mais delongas, vamos as energias:

Tudo começou na mitologia, que é o estudo de mitos, histórias, ou seja, estudo de histórias e lendas antigas, logo, mitologia planetária é o estudo destas energias. Os planetas foram batizados a primeira vez pelos Sumérios, aproximadamente 5 mil anos atrás. Eles acreditavam que os planetas eram divindades e assim deram nomes a estas divindades.


Com o passar do tempo e o desenrolar da história humana, os romanos acabaram por adaptar os nomes dos planetas de acordo com suas próprias divindades.


Fazendo a analogia destes deuses romanos com gregos, ficará mais fácil a sua compreensão do que se pode fazer com a energia dos planetas em questão.


Por exemplo, a magia com Mercúrio romano, equivalente ao Hermes grego, simboliza a comunicação, pois, não era Hermes o mensageiro dos Deuses? Assim, quando necessitar de alterações na sua vida ou de terceiros em que envolvem comunicação deve-se utilizar o ritual planetário com Mercúrio.


Júpiter, equivalente a Zeus, ou seja um Deus poderoso no sentido de ser conhecido como um Deus Supremo. Com Zeus/Júpiter trabalhamos expansão das coisas, também é o Deus que preside os fenômenos celestes e atmosféricos, e assim o vento, a chuva, o raio e a luz solar. Júpiter faz as coisas brotarem, expandirem. Assim quando necessitar que um trabalho seu seja visto ou que faça sucesso ao longe, Júpiter pode ser indicado.


Saturno, equivalente a Cronos (é pai de Júpiter), Júpiter teria expulsado Saturno dos Céus, enfim, Saturno é pai, velho, sábio, o tempo para ele é algo que ele utiliza com sabedoria, logo, ele é o Deus do tempo, dos ossos (velhice), também deus das sementeiras. Saturno pode ser indicado para trabalhos de saúde, e para trabalhos mágicos de fundação (casa), terrenos, também para ossos e coisas que demandam tempo para concretização.


Marte, equivalente grego a Ares, que é muito conhecido por ser Deus da guerra, sendo assim, já é fácil imaginar sangue, logo a cor desta energia é vermelha, também podemos pensar em condimentos fortes como pimentas, podemos imaginar que um guerreiro é uma pessoa que toma iniciativa das coisas, não se arrepende, age primeiro pensa depois, enfim, um guerreiro é de fácil compreensão, como o guerreiro também pode saquear povos conquistados, de certa forma esta energia também favorece a colheitas. Esta energia pode ser utilizado para disputas, proteção, ataque, defesa espiritual, além de desatar problemas que necessitem de uma energia enérgica para sua consecução.


Sol invicto romano, ou Hélios grego, é o Deus do Sol, representado por nosso Sol, é o Deus da sabedoria, onisciência, abundância, por via de regra, sabemos que na magia o Sol simboliza o ouro e a lua prata, com isso, o Sol traz a energia da prosperidade, abundância, saúde, riqueza, florescer, nascimentos, renovações positivas, etc. Assim quando precisar dessa energia, trabalhará na magia planetária com o Sol. Algumas pessoas fazem a analogia do Sol com o Deus Apolo grego.


Lua, Luna romana ou Selene grega, representam a nossa Lua, ela é a energia mãe, o Sol o pai, e a terra a energia filho.


A Lua é a energia então que representa uma mãe, com intuição, proteção, maternidade, feitiços noturnos, etc. algumas pessoas utilizam a referência para a Deusa Diana romana e Ártemis grega para essa analogia a esta energia.



É verdade que na cabala a Lua fica em Yesod, e com isso domina o plano mental, as vezes astral, e influência o emocional de todo ser humano, logo trabalhos que envolvem aspectos emocionais, ou aspectos espirituais como mediunidade e intuição, trabalhar com traumas, poderá ser feito com a energia da Lua.


Vênus, ou Afrodite grega, a história de Vênus é muito interessante, conta a lenda romana que Vênus nasceu no mar, dentro de uma concha, como uma madrepérola, nasceu mulher e adulta, ela foi gerada pelas espumas do mar. Outras lendas dizem que ela era filha de Júpiter com Dione, era casada com Vulcano e mantinha uma relação adúltera com Marte. Vénus foi uma das divindades mais veneradas entre os antigos, sobretudo na cidade de Pafos, onde seu templo era admirável.


Logo percebe-se que ela trata de amor, tem muito amor para dar e receber, assim Vênus trabalha sobre assuntos ligados ao chacra básico, assuntos relacionados aos sentimentos afetivos, assuntos ligados a áreas que podem ser exploradas pela sexualidade.


Este foi um pequeníssimo resumo da energia dos sete planetas dos antigos, cabe a cada estudante pesquisar cada entidade acima mencionada e criar uma forma arquetípica energética para cada planeta, e assim ter seu próprio guia de possibilidades com a Alta Magia Planetária. Como já tido em uma apostila de estudos da O.L.N:


"Na Magia Cerimonial Moderna os sete planetas foram adotados como os símbolos mais comuns para produzir efeitos práticos e de iluminação. Isto é assim porque as sete forças planetárias abrangem a maior parte do que as pessoas querem fazer quando entram para a magia – feitiços de amor e cura, magias de riqueza e até maldições. O conjunto de símbolos planetários é, portanto, altamente adequado para operações mágicas e místicas avançadas."


412 visualizações1 comentário

CNPJ: 27.312.788/0001-28

© 2015 by Ordem do Lotus Negro.